sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Dica de Beleza: Bad Hair Day e a Meteorologia

Entenda como a meteorologia influencia o nosso cabelo

O tempo muda, o corpo fala! Assim como mudamos de humor com as mudanças do tempo, nosso cabelo também muda. Uma das primeiras mudanças sentidas é a textura dos fios. Os principais fatores climáticos que influenciam nesta mudança são o calor, o frio, a umidade e o tempo seco. 

A técnica em meteorologia Janine Vanzella, da Squitter, esclarece que o cabelo humano é extremamente sensível à umidade do ar, tanto que um dos instrumentos de medidas usados para medir a umidade relativa do ar nas estações meteorológicas convencionais tem como elemento sensível o cabelo humano. O fio muda de comprimento conforme o ar ao qual está exposto, de acordo com a quantidade de vapor d'água presente na atmosfera.
“O aparelho em questão é chamado de higrógrafo, e usa como elemento sensível o cabelo humano por ter propriedades de dilatação e contração em função da umidade do ar. Certo número de feixes de fios de cabelo são ligados a um sistema de alavancas. Uma pequena alteração no comprimento dos fios de cabelo faz movimentar esse sistema, deslocando um ponteiro sobre uma escala graduada (porcentagem). As variações da umidade relativa do ar podem ser lidas diretamente no aparelho ou registradas em um diagrama”, esclarece Janine. 

Cabelos lisos, quando são expostos à umidade, tendem a ficar ondulados, enquanto os crespos ficam com mais frizz ou mais cachos. O cabelo cacheado é mais sensível que o liso e tem problemas com a eletrostática: os fios são mais próximos e as cargas são negativas, por isso, o frizz e os cabelos “rebeldes” aparecem. 

Em regiões onde a umidade do ar é baixa, os cabelos sofrem efeitos desagradáveis: os fios ressecam e arrepiam. Nos locais secos e quentes, o cabelo cria eletricidade estática, o que provoca a repulsa dos fios. O cabelo requer muitos cuidados neste período, pois o ambiente seco rouba a umidade natural dos fios, tornando-os ressecados e sensibilizados. Os raios solares que incidem sobre os fios secos agem mais intensamente sobre as membranas celulares desestruturando-as. As fibras de queratina são expostas e o fio se parte com mais facilidade. 
Já em regiões de clima úmido, o frizz toma conta dos crespos e os lisos murcham. Isso ocorre porque o fio absorve vapor d'água e fica pesado, com aspecto sujo. 

Atualmente, existem sensores mais modernos, que são integrados nas Estações Meteorológicas Automáticas. As medições são feitas minuto a minuto e transmitidos em intervalo de tempo escolhido pelo usuário. Você pode acompanhar em tempo real e à distância as variações e oscilações da umidade relativa do ar. 

Essa informação foi da Squitter Soluções em Monitoramento Ambiental
DÚVIDAS? 
Se você tem alguma dúvida sobre cabelos, envie para talrevistatal@gmail.com que terei prazer em responder, postando aqui no blog pra você. 

Espero que tenham gostado. Em breve mais dicas de beleza.
Érica Gomes, do Salão “Beleza em Três Tons” 
Contato: (12) 99170-4464 / Facebook: www.facebook.com/Belezaem3Tons

Nenhum comentário: